Assuntos Gerais

Alta do dólar – Até quando?

Há cerca de um mês escrevi aqui, neste mesmo espaço, que a alta do dólar poderia estar perto do fim. Ledo engano. Era apenas uma correção dentro de uma forte tendência de alta (ver seta no gráfico). De lá para cá, a moeda americana subiu mais 10% em apenas um mês. Motivos? Existem vários, mas o principal, segundo os analistas, é que o programa de estímulo do Governo Americano pode estar perto do fim, o que em resumo, retiraria a grande oferta de dólar no mercado mundial, favorecendo a alta da moeda americana. É verdade que a desvalorização das moedas em relação ao dólar está ocorrendo em todo o mundo, mas o real é a segunda moeda que mais se desvalorizou em 2013, possivelmente resultado do estado cambaleante da economia nacional e da falta de ação do Governo Federal, que continua cada vez mais gastador, frágil e desacreditado.

Quem ganha e quem perde com a alta do dólar?

As empresas exportadoras são as mais beneficiadas: seus produtos ficam mais competitivos e o faturamento é bastante inflado – receita em dólar!  Já aquelas que têm dívidas cotadas na moeda americana estão extremamente apreensivas: de repente, as parcelas da dívida subiram mais de 20%, em apenas em oito meses de 2013. A inflação deverá ser pressionada: produtos e ingredientes importados ficarão mais caros. Os juros também serão pressionados, assim a taxa SELIC provavelmente subirá. A Bovespa que subiu 15% nos últimos 50 dias, mas ainda acumula queda de 17% no ano, poderá ser afetada. Por fim, as férias programadas para o exterior ficarão quase inviáveis.
O Banco Central (BC) está tentando conter a alta da moeda americana no mercado futuro de câmbio, mas até agora em vão. Sabemos que os movimentos bruscos como o atual, não podem ser contidos em países onde o câmbio é flutuante, mesmo que o Banco Central use todas as suas reservas cambiais.

Assim, qual será o futuro do real frente ao dólar?

Neste exato momento é muito difícil prever alguma coisa, mas acredito que este avanço agudo da moeda americana não terá muito fôlego. Além das causas básicas, já comentadas, sabemos que existe uma grande dose de especulação. Desta forma, uma hora, a “turma” da alta vai inverter o processo, operando na queda e realizando os lucros. O mercado financeiro é assim mesmo, maníaco-depressivo: sobe rapidamente, apenas para logo em seguida, cair na mesma velocidade. O importante é saber dançar conforme a música.
Obs.: Ontem, dia 22, o BC anunciou novas medidas para conter a alta da moeda americana: leilões diários de oferta de dólar até dezembro de 2013, no valor total de 100 bilhões de dólares. Hoje surtiu efeito (veja link abaixo), mas até quando?

MJR

http://www.infomoney.com.br/mercados/cambio/noticia/2929140/dolar-tem-maior-queda-desde-2011-mercado-gostou-das-novas