Assuntos Gerais

O custo de oportunidade representa o valor renunciado em relação à melhor alternativa não escolhida. De uma maneira geral, em quase tudo na vida, quando fazemos uma escolha renunciamos às outras possibilidades existentes. Em economia, o termo custo de oportunidade do dinheiro refere-se exatamente ao valor renunciado em virtude da escolha de outra opção de investimento. Portanto, ele está presente em todas as transações financeiras realizadas. Desta forma, qualquer investimento sempre deve ser comparado com a “taxa” de oportunidade vigente num determinado país.

Esta nada mais é do que a hipotética remuneração do dinheiro pela taxa básica de juros do Banco Central (taxa SELIC). Quando renunciamos aos investimentos vinculados à taxa SELIC, estamos “deixando de ganhar” esta remuneração básica, que teoricamente não exigiria nenhum esforço do investidor, pois é oferecida facilmente pelo principal agente do mercado financeiro, o Governo Federal. Portanto, todas as demais operações financeiras para serem consideradas efetivas (lucrativas), devem oferecer um melhor resultado. Um exemplo: quem aplicou no índice BOVESPA em maio de 2008 (73 mil pontos) e manteve o investimento até agora (54 mil pontos – outubro de 2013), está perdendo, além do prejuízo inerente a operação (quase 30%), a remuneração oferecida pela taxa SELIC nestes cincos anos (cerca de 10% ao ano – rendimento renunciado). Um prejuízo monumental!

MJR