Bolsa de Valores

Basicamente temos dois mercados de ações: o integral e o fracionário. No integral, os ativos são negociados em lotes padronizados, comumente em lotes de 100 ações. No fracionário, as ações podem ser negociadas em qualquer quantidade. O grande problema do mercado fracionário é a menor liquidez, o que gera grande spread (diferença) entre as ofertas de compra e venda. Assim, evite operar neste mercado. Por outro lado, o mercado fracionário é importante em algumas situações, por exemplo: após a aquisição de ativos numa oferta pública de ações (IPO) ou na bonificação de ações, onde teremos uma posição em números “quebrados”, precisaremos deste mercado para equilibrar nossa posição, ou seja, retornar à proporção dos lotes padronizados.

Obviamente, quando a disponibilidade financeira não for suficiente para aquisição de um lote inteiro de ações, a única opção será participar deste mercado. Entretanto, nestes casos, acho que o melhor caminho é o investidor aguardar, juntar mais capital e adquirir o lote padrão. Uma opção é comprar cotas de fundos de índices, como o BOVA11, que replica o IBOV. Como a metodologia de cálculo do IBOV mudará em 2014, a tendência é que ele tenha um ótimo desempenho nos próximos anos. Outra alternativa para os pequenos investidores é a compra de cotas de fundos de ações. Independente da escolha, o mais importante é começar a investir e planejar o futuro o quanto antes!

MJR