Fundos Imobiliários

Recentemente comentei sobre uma possível bolha imobiliária em formação no Brasil. O fator que mais me preocupava era o aumento do “crédito podre”. A reportagem da revista Veja desta semana comprova a elevação vertiginosa da taxa de inadimplência do programa “minha casa, minha vida” do Governo Federal; segundo a revista, “minha casa, minha dívida”. Programas populistas, mal planejados e mal executados pelo Governo Federal, costumeiramente têm viés eleitoreiro e quase sempre com fraco desempenho. Pior, podem desencadear um calote generalizado no setor bancário, sem precedentes.

Por mais que por enquanto o problema esteja focado em financiamentos mais populares, especialmente pela Caixa Econômica Federal, o problema pode se agigantar com o passar do tempo e contaminar outros segmentos bancários. Desta forma, apesar de ser apenas um mau sinal incipiente, devemos estar alertas e mais precavidos em investir diretamente no setor imobiliário. Neste momento, uma ótima opção para se investir no mercado de imóveis é aplicar nos “bons” fundos imobiliários que administram grandes imóveis e com alta taxa de locação. Os contratos são longos e reajustados pela inflação, além dos saudáveis e generosos dividendos mensais, isentos de IR para o pequeno investidor. Fique atento!