Skip to content Skip to footer

Sevilha, Andaluzia, Espanha (Sevilla, Andalucia, España)

Sevilha é a quarta maior cidade da Espanha, atrás de Madri, Barcelona e Valência. Tem cerca de 700 mil habitantes e a região metropolitana mais de 1.5 milhão. É a capital da província homônima e também da região da Andaluzia – uma das 17 regiões autônomas da Espanha. A região está situada no sudoeste do país. Veja:

Em vários roteiros planejados por mim na Europa, em pelo menos três oportunidades, a cidade da Sevilha estava nos planos, mas por diversos fatores, fui conhecer a surpreendente cidade de Sevilla somente no final de 2021.

Em geral, Sevilha é marcada pelas altas temperaturas e por poucas chuvas. A minha experiência foi fora da curva: frio e muita chuva. Faz parte. O mais importante é que nas tardes que estive por lá, a chuva deu uma trégua e consegui fazer todos os passeios programados. Um pouco de sorte sempre é bem-vinda.

Para uma visita completa e tranquila à cidade, 3 a 4 noites são necessárias. E vale muito a pena. A cidade é muito charmosa, tem várias atrações turísticas interessantes, boa comida e um povo muito simpático. E melhor, não é lotada de turistas!

A região é claramente uma mistura da cultura cristã e mulçumana. Sem entrar em muito em detalhes históricos, o sul da Espanha foi dominado pelos Mouros por quase 8 séculos, de 711 a 1492 D.C., e depois retomado pelos cristãos.

Vista lá de cima da Torre Giralda.

A seguir comento algumas experiências por lá.

Como chegar?

Você poderá chegar à Sevilha de trem, carro ou avião. Até de barco é possível, pois o rio da cidade, Guadalquivir, o maior da Espanha, é navegável até o mar mediterrâneo.

Cheguei de trem de alta velocidade (Renfe, AVE), “direto” (cinco paradas sem mudança de trem), a partir da Estação Sants em Barcelona: cerca de 5 horas e 20 minutos de viagem. Também existe trem direto para outras cidades importantes, como Madri, Córdoba e Málaga.

Para ir embora, aluguei um carro, pois no meu roteiro a próxima cidade a ser visitada era Granada. Percorri uma estrada fenomenal e tranquila (autovia), cerca de 2 horas e 30 minutos, e sem pedágios.

Dica: alugue o carro no aeroporto. Não é longe do centro, cerca de 10 km, e para você pegar o carro é muito mais fácil. O aluguel na estação de trem (Estação Santa Justa) pode gerar algum tumulto, pois várias locadoras ficam fora da estação (suas malas serão um problema).

Onde ficar?

A cidade tem várias opções de hotéis e para todos os gostos. O hotel mais famoso é o Alfonso XIII. Um hotel 5 estrelas e muito bem localizado, próximo à Catedral e ao Alcazar. Todavia, um amigo que se hospedou por lá recentemente, comentou comigo que apesar da imponência do hotel, os quartos estão antigos. A partir dessa dica fui buscar outras opções.

Fachada do Hotel Alfonso XIII.

Para a minha sorte escolhi o Hotel Colón Gran Meliá – lá conhecido apenas como Hotel Cólon. O hotel é espetacular. Tudo novo. Ótima recepção e um excelente atendimento. Quartos amplos e bem decorados. Vale a pena. Detalhe: em todos os andares, nas portas dos quartos, existem pinturas clássicas de pintores locais. Um show.

Fachada do Hotel Cólon.
Lobby e bar do Hotel Cólon.
Um dos quartos do Hotel Cólon.

Passei a noite de Natal no hotel e foi muito legal. A localização também é muito boa (um pouco mais longe do que o outro hotel citado).

Principais atrações:

Catedral, Alcazar e Torre de Giralda. Optei por uma visita guiada abrangendo os três monumentos. Comprei o passeio no Trip Advisor (empresa de turismo Naturanda) com alguma antecedência. Faça o mesmo. E não se esqueça de levar o passaporte. É obrigatória a apresentação do mesmo na entrada da Catedral e do Alcazar. Os monumentos são belíssimos, mas o ponto alto da visita é a vista lá de cima da Torre de Giralda. Sensacional. Não deixe de subir.

Catedral e Torre Giralda.
Dentro do Alcazar (Palácio Real).
Túmulo de Cristóvão Colombo no interior da Catedral.
Jardins do Alcazar (nesse local foram filmadas cenas da série do Game of Thrones).

Plaza de España. Uma das maiores praças da Europa. E talvez uma das mais belas que já visitei. Fica dentro do parque María Luisa. Cerca de 10 minutos da Catedral, caminhando. A visita é gratuita.

Praza de España: imagem da internet (não consegui uma imagem tão ilustrativa como essa).
Parte da Plaza de España.

Passeio pelo rio Guadalquivir. Tem várias embarcações maiores com passeios de 1 hora e custo mais reduzido. Optei por fazer o passeio num Iate com capacidade para até 12 pessoas. Mais uma vez tivemos sorte, embarcou somente a minha família (4 pessoas): um passeio exclusivo por cerca de 130 euros (total). Uma pechincha. Também contratei o passeio pelo Trip Advisor (Empresa Fun Ride Sevilla). Vale a pena. Somente o ponto de embarque que pode gerar alguma confusão. Coloque no GPS o nome da empresa. O iate estará lá alguns minutos antes do embarque.

Torre de Oro, vista do passeio de barco.

Torre de Oro. Fica às margens do rio.  Apenas tirei foto do exterior.

Setas de Sevilla (Metropol Parasol). Um monumento mais recente, finalizado em 2011, moderno e em formato de cogumelos (“setas” em espanhol), localizado no centro da cidade. A vista de lá é sensacional, especialmente no final da tarde. Fica a 7 minutos caminhando do Hotel Cólon. Comprei o ingresso lá mesmo, sem problemas. Mas, talvez, o melhor é comprar pela internet com antecedência, para evitar possíveis filas em época de temporada.

Setas de Sevilha.
Vista lá de cima das Setas de Sevilha.

Passeios a pé pelos bairros principais. Vá caminhando lentamente pelas ruas estreitas e admirando a cidade: muito legal mesmo. Os bairros mais famosos são o Santa Cruz (dentro do centro histórico) e o Triana (do outro la lado do rio). A arquitetura é muito peculiar.

Casarão imponente no centro da cidade.

Restaurantes, cafés e sorveterias – opções a cântaros. Boa comida regional e bons preços. Um dos restaurantes que gostamos muito foi o Abades Triana. Fica à beira do rio, na margem oposta aos principais monumentos. Tem uma vista muito legal dos mesmos. Fomos à noite. Comida muito boa, ótima carta de vinhos, porém um preço um pouco mais “salgado”. Vale a pena. Se você quiser reservar uma mesa próxima ao rio, pagará um suplemento de 15 euros por pessoa.

Restaurante Abades Triana.
Prato típico por lá: “jamón ibérico”.

Outro restaurante que gostamos muito foi o El Burladero que fica no próprio Hotel Cólon, mas que é aberto ao público: comidas regionais e tapas. E tem uma boa carta de vinhos

Para finalizar, cito dois passeios típicos, mas que não fizemos dessa vez. Os shows de Flamenco e o espaço reservado para as touradas.

A visita à cidade de Sevilha é muito agradável. Inesquecível. Coloque no seu roteiro numa próxima visita à Espanha.

Aproveito a oportunidade para comunicar a todos os leitores do blog que meus textos sobre investimentos estão disponíveis também em videoaulas no meu canal do Youtube (link abaixo). Confira.

Link: https://youtu.be/4FzJYbfuCzc

MJR

Investir Cada Vez Melhor © 2022. All rights reserved. Desenvolvido por PortalQuest Interativa

Copyright © 2022. Investir Cada Vez Melhor - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por PortalQuest Interativa.